Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos site. Ao visitar nosso portal, você concorda com esse monitoramento e com nossa Política de Privacidade.

  • Safra - Publicada em 17/06/2022

Clima atrapalha atividades no campo no Sul do país

No Paraná, a colheita da segunda safra de milho 21/22 caminha lentamente, neste momento, no Estado do Paraná
Leia também:

Paraná deve produzir 24,1 milhões de toneladas

Rotação de cultura é alternativa lucrativa para produtor de grãos

Soja e milho superam safra passada em volume de comercialização e preço


Por: Climatempo
17/06/2022

O relatório semanal apontou que a colheita atingiu 1% da área total estimada de 2,7 milhões de hectares. A expectativa é que, se o Clima colaborar, na próxima quinzena de junho tenhamos um avanço significativo nos trabalhos.

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), 32% da área está em fase de maturação, 62% em frutificação e 5% em floração.

Trigo

No Rio Grande do Sul, as atividades de implantação de lavouras de trigo foram interrompidas entre 6 e 10/06, inicialmente pela ocorrência de chuvas e posteriormente pela manutenção de alta umidade nos solos, que impediam as operações. A partir do dia 11/06, essas atividades foram retomadas, com maior intensidade na região a Oeste, onde a semeadura é antecipada em comparação com as outras regiões do Estado.

A estimativa de cultivo de trigo para safra 2022 é de 1.413.763 hectares, representando aumento de 15,04% em relação à safra anterior. A produtividade estimada é de 2.822 kg/ha. Os triticultores apontam maior demanda por recursos financeiros em relação ao ano anterior e maior dificuldade em obtê-los em função da oferta reduzida nos agentes bancários.

Tendência do clima

O avanço de uma frente fria provoca chuva forte no Rio Grande do Sul, sul e oeste de Santa Catarina. O sistema avança no decorrer desta sexta-feira(17) sobre o Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso com expectativa de algumas pancadas de chuva também em Rondônia, Acre, sudoeste do Amazonas, no oeste e sul de São Paulo.

A chuva paralisa as atividades de campo no Rio Grande do Sul, como o trigo e também irá prejudicar os trabalhos de colheita da cana no Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul. Em Mato Grosso, a chuva pode paralisar as atividades com o milho. 

No fim de semana (18 e 19/06), a frente fria avança em direção ao Sudeste e Centro-Oeste. No sábado (18), a chuva já cai mais fraca sobre boa parte destas regiões, mas volta a ganhar força no domingo (19) entre Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. 

Depois da entrada desta frente fria, a tendência é que ocorra um período mais seco e outras frentes frias tenham um pouco de dificuldade para avançar para o norte do Paraná, Sudeste e Centro-Oeste. Os sistemas ficam mais concentrados entre o Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina. Consequentemente, o desenvolvimento do milho avança e não há risco para geada nesta cultura. 

A partir de meados de julho, com a queda de temperatura outras culturas (café, cana de açúcar, laranja) podem sentir os efeitos do frio.

Nos próximos dias, há previsão de chuva no leste do Nordeste, principalmente entre o Recôncavo baiano e a Paraíba neste fim de semana. Do dia 24 a 30 de junho, permanece as condições para chuva forte no leste e norte do Nordeste e chuvas intensas no norte do Amapá, norte do Pará, Roraima e norte do Amazonas.       



Comentários Comente essa notícia